APM Terminals Pecém receberá rota da Ásia a partir de abril

180216-pier-porteiner-porta-conteiner-apm-terminals-pecem

A Maersk Line e a Hamburg Süd anunciaram um novo serviço da Ásia para a Costa Oeste da América do Sul, que irá adicionar rotas diretas para a Colômbia, Caribe e Brasil ao atual portfólio dos armadores na América Latina. A linha começará as operações a partir de abril de 2018.

“O novo serviço foi concebido com foco em nossos clientes para permitir que eles continuem a crescer em seus negócios. A partir de agora, Colômbia, Caribe e Brasil, especialmente Pecém, poderão se beneficiar de conexões diretas com a Ásia, melhores tempos de trânsito com o Extremo Oriente e maior cobertura portuária”, destaca Lars Ostergaard Nielsen, presidente da Maersk Line na América Latina.

No Brasil, o serviço com escalas semanais será atendido pela APM Terminals Pecém, por onde os produtos no fluxo de importação serão distribuídos através de rotas de cabotagem para as demais regiões do país. “Receber a linha asiática tendo o porto do Pecém como hub, ou seja, distribuidor de cargas, é a transformação de um sonho em realidade”, explica Ricardo Arten, principal diretor da APM Terminals no Brasil.

“Quando investimos R$ 100 milhões para fazer da APM Terminals Pecém o terminal mais produtivo do Nordeste, almejávamos conectar a região a todos os continentes. Hoje dispomos de rotas regulares para a Europa e a América do Norte, além de servirmos diferentes linhas de cabotagem. Estamos certos de que o novo serviço para a Ásia impulsionará não só os volumes do terminal, mas principalmente permitirá a aceleração do desenvolvimento de toda a região”, destacou Arten.

O escoamento da safra de frutas também será privilegiado pela nova rota servida na APM Terminals Pecém, uma vez que a conexão entre Pecém e Ásia neste fluxo será direto, em até 29 dias. “Estamos localizados estrategicamente próximos à zona produtora de frutas do Nordeste. Esta será a primeira linha que oferecerá um tempo de trânsito competitivo para exportar melancias, melões, uvas e mangas produzidas no Brasil para os países asiáticos, inclusive no Extremo Oriente”, destaca Daniel Rose, diretor da APM Terminals Pecém.

As frutas correspondem ao principal produto no fluxo de exportação pelo terminal, responsável por 10% dos volumes escoados para o exterior pela APM Terminals Pecém. No ano passado, o porto bateu recorde histórico na movimentação de contêineres, com 214 mil TEUs movimentados.

A APM Terminals Pecém é a operadora de contêineres no Porto de Pecém, administrado pela CIPP (anteriormente chamada Cearáportos). Além da sua presença no Nordeste, a rede de terminais portuários da APM Terminals no Brasil se estende ao Porto de Itajaí, localizado em Santa Catarina, e ao Porto de Santos, o principal da América Latina.