Porto de Paranaguá completa quatro anos sem filas de caminhões

Em agosto, o Porto de Paranaguá completa quatro anos consecutivos sem filas de caminhões para descarregar grãos. Apesar do aumento do fluxo de veículos e do crescimento das exportações, o problema foi extinto.

Nos momentos mais críticos, as filas chegaram a mais de cem quilômetros. Em março de 2003, quatro mil caminhões ficaram dias parados no acostamento da BR-277 esperando para chegar ao pátio de triagem do porto.

“Era um problema histórico”, lembra o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. “Mas acabar com o caos nas estradas de acesso ao porto foi um compromisso assumido por esta gestão e que cumprimos.”

O último registro das filas é de agosto de 2011. De janeiro a julho daquele ano, o porto recebeu 182 mil caminhões. Neste ano, foram 233 mil veículos carregados de grãos, um crescimento de 28%.

SOLUÇÃO DEFINITIVA – O fim das filas foi possível com a adoção de uma série de medidas operacionais do início ao fim da cadeia logística do escoamento da safra agrícola.

A primeira medida foi a reformulação do sistema Carga Online. Cada terminal passou a ter um número máximo de caminhões liberados para sair do campo e ir para Paranaguá.

Com a carga cadastrada no sistema, os caminhoneiros recebem uma mensagem pelo telefone celular com orientações e a autorização para descarregar em Paranaguá. A consulta das cargas cadastradas também pode ser feita pelo site da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Com o sistema de agendamento, os terminais passaram a ser valorizados pela produtividade e só passaram a descer para Paranaguá os caminhões com cadastro feito e com garantia de vaga no Pátio de Triagem e janela para descarregamento.

“Foi um trabalho de aproximação e diálogo com o campo. Hoje, temos condições de atender todo mundo e dar eficiência ao descarregamento dos caminhões”, afirma o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Na outra ponta, as regras para atracação dos navios também foram alteradas. Os operadores com melhores índices de produtividade passaram a ter preferência no embarque de grãos, diminuindo o tempo de espera das embarcações e acelerando o escoamento da safra.

O número de cotas distribuídas para os terminais mandarem caminhões ao porto também cresceu. Há quatro anos, os operadores podiam solicitar a cota de 1,6 mil caminhões por dia. Hoje, o número pode chegar a 2,3 mil cotas diárias.

INVESTIMENTOS – Além das medidas operacionais, o aumento no movimento de caminhões também pode ser absorvido pelo porto com investimentos no acesso dos veículos e na estrutura do Pátio de Triagem. Foram aplicados R$ 7,49 milhões em melhorias no local, que recebe os veículos e onde é feita a amostragem do produto antes do embarque e onde, ainda, os caminhoneiros podem descansar com segurança.

Foram feitas melhorias no acesso, para acelerar entrada e saída dos veículos e no sistema de classificação dos produtos. Tudo para reduzir o tempo de permanência dos caminhões no local e permitir um rodízio de maior de veículos.

INFORMAÇÕES – As orientações para tráfego na cidade e liberação de cotas para descarregar em Paranaguá podem ser encontradas no site da Operação Safra (www.operacaosafra.pr.gov.br).

Nele, o exportador encontra quais as regras para liberação dos caminhões e deslocamento dentro da cidade de Paranaguá.

O caminhoneiro também pode consultar qual o seu status e se está liberado para entrar no Pátio de Triagem.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

5 thoughts on “Porto de Paranaguá completa quatro anos sem filas de caminhões

  1. 강남풀싸롱

    After going over a handful of the blog articles on your site, I honestly appreciate your technique of
    writing a blog. I book marked it to my bookmark webpage
    list and will be checking back soon. Take a look at my website
    as well and let me know how you feel.

  2. clash royale hack generator

    It’s in reality a great and useful piece of information. I’m happy that you
    just shared this helpful information with us.

    Please stay us up to date like this. Thanks for sharing.

  3. CS Serviços Marítimos Post author

    Thanks!

  4. CS Serviços Marítimos Post author

    Thanks!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado