Monthly Archives: setembro 2015

FMM aprova R$ 3,9 bilhões para projetos da Indústria Naval

O Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante (CDFMM) aprovou R$ 3,9 bilhões para projetos da indústria naval. A decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira (25), durante a 29ª reunião ordinária do CDFMM, em Brasília. Do total, R$ 3 bilhões foram destinados para novos projetos, como a construção de oito novas embarcações para cabotagem, 89 unidades para navegação interior e três para transporte de passageiros. Além disso, foram aprovados recursos para construção de um novo estaleiro de reparos.

O conselho aprovou ainda prioridades de apoio financeiro no valor de R$ 845 milhões para projetos reapresentados em função de suplementação ou novo prazo para contratação em até 120 dias, envolvendo nove embarcações, um dique flutuante e um estaleiro.

O Ministério dos Transportes informou que a resolução com a relação de projetos aprovados será publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União. Após a publicação, as empresas poderão tratar da contratação dos financiamentos junto aos agentes financeiros do fundo: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste ou Banco da Amazônia (Basa).

A reunião foi a segunda do CDFMM em 2015. Na anterior, realizada no dia 24 de abril, o FMM aprovou R$ 1,81 bilhão para 247 projetos da indústria naval. De acordo com o Ministério dos Transportes, a próxima reunião do Conselho está prevista para o dia 17 de dezembro. De 2011 a 2014, o FMM desembolsou R$ 17 bilhões no fomento ao transporte aquaviário e à indústria naval. Em 2015, até esta última reunião, mais R$3,9 bilhões.

 

Fonte: Portos e Navios

Transpetro coloca em operação 12ª embarcação do Promef

RIO  –  O navio Marcílio Dias foi entregue à Transpetro ontem, quinta-feira, após cerimônia no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca (PE). Esta é a 12ª embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) a entrar em operação. A viagem inaugural do petroleiro será para a Bacia de Campos, onde fará sua primeira operação de carregamento.

Em nota, a Transpetro informou que o Marcílio Dias é o sexto da série de dez navios do tipo suezmax encomendados ao EAS. Atualmente, há quatro embarcações do Promef em construção no estaleiro, das quais uma se encontra no estágio de acabamento. Os navios suezmax são destinados ao transporte de óleo cru na exportação e cabotagem, com capacidade de transporte de carga de cerca de 1 milhão de barris de petróleo, o equivalente a quase metade da produção brasileira diária.

Além do Marcílio Dias, os outros navios do Promef que já estão operando são o gaseiro Oscar Niemeyer; os suezmax André Rebouças, Henrique Dias, Dragão do Mar, Zumbi dos Palmares e João Cândido; o panamax Anita Garibaldi e os navios de produtos José Alencar, Rômulo Almeida, Sérgio Buarque de Holanda e Celso Furtado.

Fonte: Valor Econômico

Porto de Santos amplia para 27,4% participação no volume global das exportações brasileiras

Santos – O Porto de Santos consolida cada vez mais sua condição de principal porta de entrada e saída do comércio exterior brasileiro. De janeiro a agosto de 2015, o porto santista contribuiu com US$ 68,4 bilhões, correspondente a 27,4% do total de US$ 249,4 bilhões do Brasil. Como comparação, no ano passado essa participação foi de 25,4%. Desde maio, Santos tem ampliado significativamente sua participação, mantendo essa marca.

O aumento isola ainda mais o complexo santista na liderança, com uma participação maior que a soma dos cinco portos ranqueados na sequência. “O resultado mostra o vigor do maior porto da América Latina, que se mantém forte mesmo num momento de retração da economia”, destacou o ministro de Portos Edinho Araújo.

Para o Diretor Presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Angelino Caputo e Oliveira, este resultado consolida o Porto de Santos como principal concentrador de cargas do país. “Santos, além de maior polo logístico do comércio exterior brasileiro, tem ainda na diversidade de atendimento um fator muito forte para não manifestar os impactos da redução. ” comenta Caputo, explicando que tal diversidade é fundamental para compensar num setor a eventual redução de outro.

O total de exportações foi de US$ 34 bilhões, representando 26,5% do total do Brasil (US$ 128,3 bilhões). A China foi a principal parceira comercial do Brasil, com participação de 15,4% nas exportações (US$ 5,23 bilhões). Em seguida vêm os Estados Unidos, com presença de 11,9% nas exportações (US$ 4,0 bilhões). O 3º país com maior participação nas exportações através de Santos foi a Argentina, US$ com 1,95 bilhão, correspondente a 5,8% do total.

A principal carga exportada pelo Porto de Santos, em relação aos valores comerciais, foi o complexo soja (grãos e farelo), com US$ 4,0 bilhões, correspondente a 14,2% do total. Destes, 11,8% foram para a China, seguida de Tailândia e Coréia do Sul (menos de 1% cada), além de outros 17 países. Em seguida, o café, com 9,3% de participação, para os Estados Unidos, Alemanha e Itália, além de outros 78 países; e açúcar, com 7,2%, para China, Bangladesh e Egito, bem como para outros 57 países.

Nas importações, O resultado do Porto de Santos é de US$ 34,4 bilhões, correspondente a 28,4% do total brasileiro (US$ 121,0 bilhões). As principais cargas foram: inseticidas (US$ 465,7 milhões), vindos principalmente dos Estados Unidos, França e Bélgica; caixas de marchas (US$ 454,8 milhões), importados do Japão, Coreia do Sul, Indonésia e outros 21 países; em terceiro, fungicidas, com US$ 353,9 milhões. As origens foram França, Reino Unido, Estados Unidos e outros 15 países com menor participação.

Assim como nas exportações, nas importações via Porto de Santos a China, com participação de 19,4% (correspondente a US$ 6,68 bilhões) e Estados Unidos, com 14% do total (US$ 4,8 bilhões), foram os principais parceiros comerciais. A 3º posição foi da Alemanha, com US$ 2,8 bilhões e (8,2% do total).

Fonte: Codesp/Porto de Santos